Estratégias de revitalização das marinhas de sal: O caso da Marinha Santiago da Fonte

Article de compte rendu de la conférence


Auteurs / Editeurs


Domaines de Recherche


Détails sur la publication

Liste des auteurs: Albuquerque H, Martins F, Silva A M T S F
Année de publication: 2012
Page d'accueil: 142
Dernière page: 151
Nombre de pages: 10
Languages: Potugais-Portugal (PT-PT)


Résumé

As salinas, estruturas artificiais construídas pelo Homem, com o propósito de produzir sal, desempenharam um papel relevante na evolução dos espaços estuarinos onde foram implantados. No entanto, desde meados do século XX que a actividade entrou em declínio, suscitando o desaparecimento de todo um património natural, cultural e histórico. A reversão deste processo exige o desenvolvimento de novas estratégias e meios de valorização e rentabilização destas áreas naturais. É neste âmbito que surge o Projecto Europeu ECOSAL‐ATLANTIS "Ecoturismo nas salinas Atlânticas: uma estratégia de desenvolvimento integral e sustentável" (2010 ‐ 2012), no âmbito do programa transnacional Espaço Atlântico. Este projecto tem como objectivo principal conseguir um desenvolvimento conjunto, integral e sustentável do turismo baseado no património cultural e natural dos espaços salícolas tradicionais do Atlântico. A implementação de uma rota turística promotora da herança salineira destes espaços é um dos objectivos centrais do projecto, para que o público possa reconhecer e valorizar o património natural e cultural das salinas e da actividade salícola, que desempenharam um papel relevante na construção da história e identidade do Espaço Atlântico. Para concretizar os objectivos propostos, a Universidade de Aveiro, enquanto membro do projecto, tem desenvolvido um conjunto de actividades e acções no sentido da integração da Marinha Santiago da Fonte, da qual é proprietária, na Rota “Sal Tradicional Rota do Atlântico”. Neste contexto, têm vindo a ser desenvolvidos trabalhos relacionados com a avaliação da biodiversidade do local e a posterior definição de directrizes que contribuirão para a conservação do espaço e a promoção de um turismo sustentado nessas potencialidades. Foram ainda desenvolvidos workshops em áreas como a promoção do turismo acessível, do produto “SAL” e das argilas, saúde e bem‐estar. Com o desenvolvimento destas acções pretende‐se responder ao objectivo central do projecto de implementação e auto‐suficiência da Rota “Sal Tradicional Rota do Atlântico” e consequentemente destes espaços através da promoção da sua conservação, compreensão e dinamização.


Mots-clés

Pas d'articles correspondants trouvés.


Documents

Pas d'articles correspondants trouvés.

Dernière mise à jour le 2019-09-08 à 00:15